Páginas

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

The Aiki Kid


Recentemente descobri um filme, mas filme mesmo, sobre Aiki. Como o trailer está em japonês, tudo que pude perceber foi que trata-se da estória de um garoto que fica paralítico em um acidente de carro e que, ao ver a demonstração de algum sensei fica maravilhado como o dito "aiki". Matricula-se em aulas, menos de duas horas depois(o que deve levar o filme) já é faixa marrom(e dizem que no Japão não adotam faixas coloridas hein?) e cai em algum torneio que deve vencer.

O link é este http://youtu.be/p2U8jt_xXJ4


Nossa editora chefe quer ver o filme mas está sem companhia, alguém se habilita?

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Beijing Combat Games 2010


Durante os dias 28 de agosto a 4 de setembro, foram realizados os Combat Games Beijing 2010.

Esta foi a primeira edição de um encontro internacional, envolvendo 13 Artes Marciais (Aikido, Boxe, Judô, Jiu Jitsu, Karatê, Kendo, Kickboxing, Muaythai, Sambo, Sumo, Taekwondo, Wrestling, Wushu).

O aikido foi convidado para apresentações. Participaram aikidocas de todo o mundo. Alguns vídeos abaixo.

- http://www.youtube.com/watch?v=kNvc8dKcFfA - introdução combat games
- http://www.youtube.com/watch?v=wYXuSf78urQ - promo video combat games
- http://www.youtube.com/watch?v=XV0vjTWVJWQ - aperitivo
- http://www.youtube.com/watch?v=me_47LUeIy0&feature=channel - apresentação
- http://www.youtube.com/watch?v=PuME13QUbDY&feature=channel - apresentação
- http://www.youtube.com/watch?v=yKWW3IvlgY8&feature=channel - apresentação
- http://www.youtube.com/watch?v=hs7eYRDcLV8&feature=channel - apresentação
- http://www.youtube.com/watch?v=NkJi1ghA5YA - apresentação
- http://www.youtube.com/watch?v=pgZFU30MasM - apresentação
- http://www.youtube.com/watch?v=pT99qM99ZkM - homenagem aos participantes


A modalidade que faltou no evento

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Aikido de alto nível no Brasil

O texto abaixo foi publicado originalmente no blog Estaca Zero de Leonardo Burlamaqui. Achei interessante e o republico aqui.

Para quem não sabe – e acredito que sejam muitos – no Aikido tradicional, todo e qualquer ‘dan’ acima do 4º grau é concedido pelo Hombu Dojo (Aikikai, em Tokyo) por questões única e exclusivamente políticas. Ou seja, não há avaliação técnica. Normalmente, leva-se em consideração a importância do mestre dentro da comunidade aikidoística, sua influência e contribuições na difusão e evolução da arte, quantidade (e qualidade) de alunos, instrutores e mestres formados por ele. Enfim, são muitas variáveis, mas no final das contas o que importa é sua proximidade com o Hombu Dojo e, claro, com o próprio Doshu, atualmente neto do fundador.

Pode não parecer, mas o Brasil conta com alguns mestres de relevância dentro do cenário mundial do Aikido. Dentre eles, destaco os senseis Ichitami Shikanai e Makoto Nishida, ambos 7º dan e, como não poderia deixar de ser, japoneses. Não quero criar polêmica pelo que aqui exponho, mas é conhecido o fato de que o Hombu Dojo dá maior atenção e incentivos ao crescimento técnico e político de seus conterrâneos. Hoje, penso que essa abordagem não é apenas uma tradição – que alguns consideram injusta ou preconceituosa – mas uma estratégia (que a Aikikai julga) vital à manutenção de certos valores presentes na filosofia do Aikido e na própria história, cultura e identidade do Japão.

Àqueles que conhecem sensei Shikanai, é incontestável sua qualidade técnica, seu envolvimento não somente com o Aikido, mas com as artes marciais de modo geral, bem como sua importância como mestre-modelo no Brasil. Por isso, nada mais merecido que ser reconhecido pela Aikikai como 7º dan.

Quanto a sensei Nishida, o seu grande mérito está na articulação política dentro da Aikikai, difundindo a arte – hoje, ele conta com milhares de alunos diretos e indiretos – e representando o Brasil de forma serena, humilde e transparente. Daí a sua promoção para 7º dan, ocorrida em 10 de janeiro de 2010, durante a cerimônia do Kagamibiraki, no próprio Hombu Dojo.

Na minha franca opinião, os mestres Shikanai e Nishida se traduzem numa das melhores coisas que o Aikido tem a oferecer: bons exemplos. Ambos são pessoas especiais, de muito bom coração, dedicadas à disseminação dos valores éticos e morais do Aikido, sendo um referencial no caminho que todo ser humano deve (ou deveria) trilhar, em busca da harmonia, com humildade, paciência, generosidade e perseverança. Sob essa ótica, nós, brasileiros, temos sorte de contar com mestres de tamanho gabarito. Cabe a nós sabermos aproveitar cada oportunidade que se apresenta e, a partir do contato com a ‘prata da casa’, tirarmos nossas lições pessoais.