Páginas

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Aikido paranóia

Estava para fazer essa resenha há algum tempo, mas a preguiça e a falta de condição tecnológica impediram.

O título se refere a uma observação que venho fazendo já não é de hoje e ficou muito mais clara após o seminário do meu último post.

Algo acontece que as pessoas querem transformar o aikido na arma perfeita(através de seus próprios corpos). Você deve treinar para ser capaz de se defender de qualquer coisa a qualquer momento. Não pode vacilar nunca. Deve treinar igual à realidade. Essa foi a mensagem de sensei ReynoSSa. "Um bandido na rua não vai fingir que te dá um soco!", disse ele. Só esqueceram de avisá-lo que aqui no Brasil um bandido vai te dar um tiro e não um soco.

Além disso basta acompanhar as comunidades do Orkut. Alguns continuam pregando este tipo de mensagem. Claro que o aikido é uma arte marcial, mas passar essas imagens de invencível podem ser perigosas. Acho que trata-se de uma inveja em relação às outras artes/lutas. BJJ, Krav-Magá, Hapkido, dentre outras invenções bizarras, ostensivamente se vendem como a defesa pessoal perfeita. No aikido nunca houve esse marketing, e por isso é desconsiderado pelos praticantes de outras artes.

Bom, no pŕoximo fim de semana tem seminário com William Gleason. Até onde sei será um enfoque bem diferente. Bill Gleason é 6º dan e seu professor é o shihan Mitsuge Saotome, de Washington.



Nenhum comentário:

Postar um comentário